Volta MENU                                        Volta ÍNDICE POETAS AMIGOS

 


Ana Maria Peralva Cordeiro, é natural da cidade de Campos,
Estado do Rio de Janeiro, casada, tem dois filhos e um neto.
É professora aposentada e sempre gostou muito
de ler e escrever.
Como toda leonina, é uma sonhadora,
mas gosta de ficar quietinha observando tudo!
Segundo a poeta, quando ela fantasia, deixa sua
inspiração transbordar as suas emoções e
trata logo de escrevê-las.
Ela pega carona nas asas do vento e diz que nos
seus versos ela é água, ar, terra e mar! Destes
elementos ela retira toda sua energia e se completa.

É uma honra tê-la aqui no meu site, Anna Peralva!

Com carinho.
Yara Nazaré

 


faffi

As vezes uma chuva de estrelas
passa por nós, nos fazendo acreditar
que o céu não está tão longe do nosso alcance
e que podemos brilhar como elas.
Consegui visualizar uma dessas estrelas
e seguindo o seu brilho, cheguei à você,
Anna Peralva,
uma estrela que caminha pela magia do céu
dividindo seu brilho com outros astros.
Hoje, encaminhada por você,
também me senti uma estrela,
sem vaidade e sem a pretensão de ser uma.
Consegui captar o brilho que veio de você,
me deixando iluminada, parecendo uma estrela do céu.
Obrigada Anna, mesmo dividindo o seu brilho,
você nunca vai parar de brilhar, porque ele estará sempre
por Deus, sendo multiplicado.
Como poetisa, você é mil
Como amiga, mais que mil
Como pessoa e como gente que faz acontecer,
você é mil X mil.
Somando tudo isso,
cheguei à uma estrela de primeira grandeza,
um ser especialmente, especial!
Anna Peralva Cordeiro,
uma estrela que caiu do céu para fazer a terra brilhar,
com os seus escritos e o seu jeitinho meigo de amar
os seus semelhantes.

De faffi/Para Anna Peralva Cordeiro.
26/08/11


(Yara Nazaré - 29/08/2011)

Foi assim de repente...
Surgiu como estrela cintilante
Sem alarde trouxe a doçura
E fez-nos sentir contentes
Iluminou de alegria o lugar
Com a luz da sua bondade
E a riqueza da sua presença.

A música suave soou no ar
Para ao mundo anunciar
A presença amiga e serena
Da majestosa e linda poeta
Que nos cativa com carinho
E como mestra das mestras
Faz-nos sentir importantes
Pois não poupa sua energia
E a todos nós enriquece.

É você, ANNA PERALVA
Com certeza você nos cativou
Com sua simplicidade e prestígio
Sempre singela, modesta e amiga
O seu amor de verdade fraterno
É a ESTRELA NOVA que nos guia!


ALGUMAS DAS LINDAS
POESIAS DE ANNA PERALVA!



NÃO ME ACORDE!


Tu és o cio sem destino
em madrugadas sem fim...
Em teu olhar, brilho desatino
no beijo frio da boca carmim...
Assim tateia um coração cego
embora espelho dúbio discorde...
Ontem, a sonolência do tempo
devorava o que havia em mim,
vazio maculando a existência...
Hoje, bem distante do teu ego
sou leveza, no fluir da essência
sonho outra vez. Não me acorde,
pois deixei de viver tua ausência!


Anna Peralva - 06/08/2011




AMO ASSIM...


No templo de um coração aberto
onde alma plena em emoção diz:
Ama-se apenas... Longe ou perto!
Com a verdade respingando revelação
nos olhos lúcidos nascentes de águas.
Ama-se... Ante o sim e o não!

Em tempo de saudade ou solidão
as lembranças tornam-se realidade,
Ama-se... Num voo louco da ilusão!
Nesse sentir imenso há eterna raiz
inserida no corpo... Em intensidade
amo miragens... Com ou sem razão!

Nas longas madrugadas de inverno,
quando a memória revive a história
ama-se... Entre o céu e o inferno!
Nas horas vazias, a pele em desejos
delira... E no silêncio da ansiedade,
Ama-se... Com a boca seca de beijos!

No espelho da vida apenas uma imagem,
em outra estação a criatura amada vive...
Ama-se... Num deserto em paisagem!
O reflexo do hoje nunca projeta o fim
e o sonho em outras esferas sobrevive...
Amo assim... Muito além de mim!


12/06/2011 - Anna Peralva



DILUO-ME...
Anna Peralva


Apago a vida
corrompida...
Desato sonhos
ora bisonhos.
E qual fumaça
sou sombra que passa,
além de ti, de mim...
Presa num tempo
elusivo, não avanço...
Nos espinhos do contratempo
esperanças jamais alcanço!
Num tosco toco de vela
alma enfim revela
o limiar do fim!
Não há paz...
Silêncio desfaz
tudo que fui!
Diluo-me então,
pois nada flui
na escuridão...


17/08/2011

 

 


QUE VENHA A PAZ!...
Anna Peralva



Que sementes sãs floresçam
em abundância, cresçam
e se espalhem pelo espaço.
Que a escuridão não mais obscureça
o caminho da esperança
e dissipe o sorriso inocente,
no rosto da criança.
Que a mão -feita para doar e construir-
desaprenda a negar e destruir
e não mais cause angústia e dor.
Que o coração endurecido-opaco,
seja liberto e iluminado
para que o caminho a ser percorrido,
possa então ser reconstruído.
Chega de guerra !...
Quero a luz banhando a Terra,
sentir o aroma da igualdade
e ver povos a sorrir,
numa só irmandade...
Vamos dar um basta às desigualdades,
diluir as sombras da ambição
que cegam a visão-justiça
e obstruem a união.
Vamos alardear o amor,
libertar as correntes
da distância e indiferença
entre todas as nações,
cruzar a ponte da amizade
e conhecer a real felicidade
da fraternidade,
pois somos todos iguais
diante do mesmo PAI.
Então...
QUE VENHA A PAZ!...




VOCÊ, SÓ VOCÊ!
Anna Peralva

Você chega assim de mansinho
com olhar sempre apaixonado...
Seu corpo é meu, protegido ninho
e nosso amor permanece cultivado.

Na afetividade do seu abraço
sou alma que volita em estesia...
Em sua pele desnuda eu traço
com as mãos, a mais doce poesia!

Sonhos se assanham em rodopios
e dançamos, na volúpia da paixão...
Na quietude da noite vento em assobios
canta para o silêncio a nossa canção...

Você, só você encanta meu coração
e no compasso cadenciado dos enamorados,
o tempo para... Ablui sementes de emoção
para que sentimentos sejam eternizados!
05/06/2011


CALOU-SE...
Anna Peralva

Alma que suspira inquieta
quando os sonhos se calam,
no olhar disperso do poeta
ilusões desfeitas nada falam!

Silêncio abafou a inspiração
de um romântico sonhador...
Tristeza trincou seu coração
que agora pranteia por amor!

E o trovador navega perdido...
Não encontra a palavra certa
para dizer quanto tem sofrido,
pois no peito, saudade aperta...

Trancou-se num tempo sem poesia
aguardando o florir da primavera.
Calou-se... Fingir não mais podia!

15/08/2011


TENTAÇÕES

Anna Peralva

Nesse mundo material perigo ronda
os passos... Momentâneas ilusões,
que ao pensamento adentra e sonda
qual vil astúcia, que engole emoções.

Tentações são tantas no tempo passante
que muitos se iludem... Não veem o perigo
que chega num sorriso da noite debutante
e arrastam sombras que turvam o abrigo!

Dizem que o fruto proibido é adocicado!
Cuidado com o que pensa, fala e sente...
Viver nas águas servidão do ter é pecado
quando só se emprega o "eu", no presente!

Não tenha os pés molhados pela vaidade!
Cultiva sua fé! Tenha sabedoria e decência
para que a alma abrigue luz da humildade.
Pare! Jamais pise no portal da decadência!

05/08/2011

 

Clique na cestinha de botões de rosas abaixo e visite o lindo
site de Anna Peralva e conheça mais sobre a grandiosa poeta.

E, se tiver um tempinho,
assine meu livro de visitas!
Obrigada!
Yara Nazaré